Apresentação | BICHOS fotopoemas

8 Setembro 2011

24 setembro 2011 pelas 16 horas
Quinta pedagógica dos Olivais

apresentação a cargo da escritora Julieta Ferreira

Anúncios

BICHOS fotopoemas

8 Setembro 2011

BICHOS fotopoemas

 

A máquina capta a imagem, as palavras despertam-nos os sentidos e trazem para dentro de nós o momento. Ouvir – Sentir – Ver – Cheirar – Provar. Escutar olhando, sentir provando, cheirar vendo. Tudo é possível no mundo das crianças! Um sentido desperta o outro, o receio dá lugar à curiosidade, à vontade de saber e interagir cada vez mais. E nós pais, avós, professores, tios e amigos, sabemos bem… Aquele dia, em que o relógio teima em andar depressa, e há uma mão pequenina que nos aperta e diz: cuidado não pises aquela formiga! Olha aquela flor! Então, dá-se o clique, percebemos que temos que reaprender, lembrando. É urgente olhar o mundo como se fosse a nossa primeira vez, deixar crescer a criança dentro de nós e nada voltará a ser como antes! Este livro é para todos aqueles que já despertaram para o milagre de ser e ter uma criança. “Uma imagem vale mais que mil palavras”, mas uma palavra pode mudar mil corações. Afinal, só temos que dispor de uns minutos por dia, uma imagem, um poema e, em conjunto, criança-adulto, vamos ler, ver e despertar o nosso sentir.

Joelma Garcia

_______________________________________________________________________

Beatriz Nunes Campos nasceu no Funchal em 1949 e veio estudar para Lisboa, aonde se licenciou em Filologia Românica, pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa. Exerceu nesta cidade a função de docente do ensino secundário, lecionando as disciplinas de Português e Literatura Portuguesa. Realizou e participou em diversos colóquios, debates, conferências e exposições, no âmbito da sua especialidade, tendo ainda publicado alguns contos, em coletâneas. Entre outros interesses e dada a sua sensibilidade ao mundo artístico, também a fotografia lhe merece uma atenção especial, chegando a ter formação nesta área.

_______________________________

AUTORA: Beatriz Marques
EDIÇÃO: Maio 2011

44 páginas | 21×21 cm | isbn 978-989-8400-18-5 |
pvp 11,00 €

Apresentação | ASTERISCO de Rui G. Barros

1 Junho 2011

 

É com prazer que o AL – Atelier de Letras e a Biblioteca da Escola EB 2.3/S do Pintor José de Brito convida Vª Exª a estar presente na sessão de lançamento do livro “Asterisco” de Rui G. Barros, aluno do 11º A do Curso de Ciências e Tecnologias.

A sessão realizar-se-á nesta biblioteca no dia 9 de Junho, pelas 21h30.


Apresentação

7 Abril 2011


Apresentação

22 Março 2011

A Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, de Esposende, vai promover, no próximo dia 25 de Março, pelas 21h00, a sessão de apresentação do livro de Bernardete Costa, intitulado “Transpiração”.

Trata-se do mais recente livro de poesia da autora, destinado ao público juvenil, cuja apresentação estará a cargo do conceituado poeta e escritor valter hugo mãe, contando ainda com uma performance poética por alguns elementos do GATERC (Grupo Amador de Teatro de Esposende – Rio Cávado) e acompanhamento musical de Ana Carolina Peixoto, da Escola de Música de Esposende.

 Bernardete Costa nasceu em Esposende, em 1949, tendo residido em Barcelos, onde, em 1975, iniciou a carreira como docente no então ensino primário. Em 1984, muda-se para Vila Nova de Famalicão, onde se estreia na escrita jornalística e literária.

O seu gosto pela escrita levou-a a publicar algumas obras literárias. Assim, em 2000, editou o primeiro livro de poemas “A Guardadora de Ausências”, com prefácio de Urbano Tavares Rodrigues. A boa recepção da obra por parte da crítica, entusiasmou-a a continuar a escrever, especialmente poesia. Em 2001, publicou o segundo livro, “Lugares do Tempo”, (prémio literário da Câmara Municipal de Barcelos), em 2002, a “Insubmissão dos Afectos” e, em 2004, “Cerejas aos Molhos”. Igualmente dedicado à infância, publicou, em 2009, o livro de contos “O Doce Canto da Sereia e Outras Histórias”. Para além destas obras, tem artigos dispersos em antologias várias e publica textos inéditos no seu blog: http://bernardetecosta.blogs.sapo.pt.

Bernardete Costa retornou às origens e vive, actualmente, numa “varanda” sobre o rio Cávado, em Esposende.


Nunca mais te vi

28 Fevereiro 2011

 

Saiu este domingo na 
revista do correio da
manhã a reportagem
com o autor
José Torres Gomes.

 

veja aqui


Nunca mais te vi

24 Fevereiro 2011

NUNCA MAIS TE VI

José Torres Gomes

 

Sempre gostou de ler, mas sobretudo de escrever, mas o facto de ser portador de deficiência visual não lhe permitia escrever pelo seu próprio punho. O contacto com a ACAPO, associação que apoia cegos e amblíopes trouxe novas esperanças na realização do seu sonho. Concretizou uma formação para a aprendizagem do software de leitura de textos digitais − o Jaws.A partir de então passou a escrever regularmente no computador.

Em 2010 editou o seu primeiro livro, “Os ossos também falam”.

________________________________________________________

Nós, nobre povo Lusitano, gente empreendedora e aventureira, em pouquíssimas ocasiões tivemos a capacidade de manter sarado o estigma que tem sido a miséria a cujo o povo se tem sujeitado. Nos inícios do século XX, a miséria, que sempre incidiu com mais rigor nos meios rurais, reinava com toda a sua intransigência.

Na região entre Lima e Ave, vivia um casal com muitos filhos. A escassez de recursos obrigava a que alguns dos filhos fossem servir para casas abastadas. O drama de quem abandona os que mais ama, e o trato a que serão submetidos, estão em foco no desenrolar desta história.

____________________________________________________

  

A menina deu aos ombros e timidamente disse:

— Estou, mas queria o meu pai! E a minha mãe também! Onde estão eles os dois? E o Martinho, e o Vicente, e o Fredo, e a Rosa, e a Amélia, e a…
— Dorme minha filha, eles estão todos bem! Não te preocupes com eles, daqui a poucos dias vais vê-los!
Sem maldade, assim a enganava Dona Maria, enquanto que o homem afagava os cabelos da menina e a beijava na testa. Os olhos da criança encheram-se de água, a dor dela era ainda, e nos próximos dias não o seria de outra maneira, muito dura.
Olhava para os dois com um condoído olhar, eles ternamente para ela olhavam, e sentiam terem cometido um crime com aquela doce menina que precocemente fora para uma casa estranha a fim de servir, estava predestinada a ter uma vida boa naquela casa, todavia os acontecimentos por vezes são imprevisíveis e o futuro uma incógnita.
_______________________________________________

AUTOR: José Torres Gomes

EDIÇÃO: Março 2011

164 páginas | 15×23 cm | isbn 978-989-8400-16-1 |
pvp 12,50 €